Sobre

Teatro do Eléctrico é fundado em 2008, composto por profissionais do espectáculo (Teatro e Música). É uma estrutura apoiada pela República Portuguesa - Cultura / Direcção Geral das Artes, pelo Cineteatro Louletano / Câmara Municipal de Loulé e pela Câmara Municipal de Lisboa / Polo Cultural Gaivotas | Boavista.

São parceiros a Billyboom, Convento Inn and Artist Residencies - convento.pt Frescos Produções, Make it Happen, Pecosita-Pepito.

História

APRESENTOU OS SEGUINTES ESPECTÁCULOS:

O Regresso de Natasha, texto e encenação de Ricardo Neves-Neves (2008);
Manual, texto de Patrícia Andrade e Ricardo Neves-Neves, encenação de Ricardo Neves-Neves (2008);
Black Vox, textos e encenação de Ana Lázaro, Patrícia Andrade e Ricardo Neves-Neves (2009);
A Porta Fechou-se e a Casa Era Pequena, texto e encenação de Ricardo Neves-Neves (2010);
A Festa, texto de Spiro Scimone, encenação de Ricardo Neves-Neves (2011);
Fantoches Gigantes, texto de Ricardo Neves-Neves, encenação de Paula Sousa (2011);
O Solene Resgate, texto e encenação de Ricardo Neves-Neves (2012);
Mary Poppins, a mulher que salvou o mundo, texto e encenação de Ricardo Neves-Neves (2012);
Menos Emergências, de Martin Crimp, encenação de Ricardo Neves-Neves (2014);
Sebastião & Sebastiana, música de W. A. Mozart, encenação de Ricardo Neves-Neves (2015);
A Batalha de Não Sei Quê, texto e encenação de Ricardo Neves-Neves (2015);
Ciclo de Leituras Eléctricas, de Denis Lachaud, Copi e Vitoriano Braga, encenação de Ricardo Neves-Neves (2015);
Mãe com Açúcar, texto e encenação de Rita Cruz (2015);
A Noite da Dona Luciana, de Copi, encenação de Ricardo Neves-Neves (2016);
A Preceptora, teatro televisivo, uma criação de Ricardo Neves-Neves (2016);
Encontrar o Sol, de Edward Albee, encenação Ricardo Neves-Neves (2017);
A Freguesia, uma criação de Ricardo Neves-Neves (2017);
Karl Valentin Kabarett, de Karl Valentin, encenação de Ricardo Neves-Neves (2017);
Banda Sonora, uma criação de Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo (2018);
Catamarã, uma criação de Ana Lázaro e Ricardo Neves-Neves (2018);
Alice no País das Maravilhas, a partir de Lewis Carrol, encenação de Maria João Luís e Ricardo Neves-Neves (2018);
A Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen, por Edward Luiz Ayres d’Abreu, Ricardo Neves-Neves e Martim Sousa Tavares (2019);
Soberana, uma criação de Ana Lázaro e Ricardo Neves-Neves (2019);
Dito por não Dito, textos de Alexandre O ́Neill, Ary dos Santos, Camilo Castelo Branco, Fernando Pessoa, Gil Vicente, João Garcia de Guilhade e Natália Correia, uma criação de José Leite, Rafael Gomes e Ricardo Neves-Neves (2019);
A Reconquista de Olivenza, uma criação de Ricardo Neves-Neves e Filipe Raposo (2020);
A Voz Humana, de Jean Cocteau, uma criação de Patrícia Andrade e David Pereira Bastos (2021);
Hamster Clown, uma criação de Ricardo Neves-Neves e Rui Paixão (2021);
O Anel do Unicórnio – uma Ópera em miniatura, uma criação de Ana Lázaro, Martim Sousa Tavares e Ricardo Neves-Neves (2021).
Cortes de Júpiter, de Gil Vicente, adaptação dramatúrgica e Encenação Ricardo Neves-Neves; Composição de música nova Filipe Raposo (2022).
Transatlântico, de Christopher Durang, versão dramatúrgica e encenação Ricardo Neves-Neves, com a Companhia Maior (2022);

O Teatro do Eléctrico fez co-produções com São Luiz Teatro Municipal, Cineteatro Louletano / Câmara Municipal de Loulé, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São João, Teatro Municipal do Porto – Rivoli, LU.CA – Teatro Luís de Camões, Culturgest, Theatro Circo de Braga, Teatro da Trindade, Festival de Almada, Centro de Arte de Ovar, APARM, CCB, Culturproject, Centro Cultural de Vila Flor, 23 Milhas - Ílhavo, Centro Cultural Malaposta, Companhia Maior, Artistas Unidos, Teatro da Terra, Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa, Galeria da Biodiversidade, Teatroesfera, Câmara Municipal de Lagos, Câmara Municipal de Guimarães.

PUBLICAÇÕES:

A Porta Fechou-se e a Casa Era Pequena, de Ricardo Neves-Neves (Companhia das Ilhas, 2013);
Mary Poppins, a mulher que salvou o mundo e outras peças, de Ricardo Neves-Neves (Artistas Unidos/Cotovia, 2014);
A Batalha de Não sei Quê e outros textos, de Ricardo Neves-Neves (Artistas Unidos/Cotovia, 2017).
A Freguesia, de José Leite e Ricardo Neves-Neves (C. M. de Loulé, 2017);
Soberana, de Ana Lázaro (C. M. de Loulé, 2019);
Banda Sonora/ The Swimming Pool Party, de Ricardo Neves-Neves (Artistas Unidos/Cotovia, 2020);
A Reconquista de Olivenza (Artistas Unidos/Snob, 2022).

PRÉMIOS/NOMEAÇÕES DE ESPECTÁCULOS:

2014 | Menos Emergências, de Martin Crimp – Nomeação de Melhor espectáculo do Ano pela revista Time Out Lisboa.
2015 | Menos Emergências, de Martin Crimp - In Jornal Expresso, Melhores Espectáculos de Teatro do Ano.
2016 | A Noite da Dona Luciana, de Copi - Ípsilon, Teatro: o melhor do ano, Balanço de 2016.
2017 | A Noite da Dona Luciana, de Copi - Gala de Prémios Autor 2017 / Sociedade Portuguesa de Autores, foi nomeado A Noite da Dona Luciana* de Copi, encenação de Ricardo Neves-Neves na categoria de Melhor espectáculo, e foi nomeada a actriz Rita Cruz na categoria de Melhor Actriz.
2018 | Banda Sonora, de Ricardo Neves-Neves - In Comunidade Cultura e Arte, 15 momentos memoráveis de Teatro em Lisboa em 2018.
https://www.comunidadeculturaearte.com/15-momentos-memoraveis-de-teatro-em-lisboa-em-2018/
2018 | Banda Sonora, de Ricardo Neves-Neves - In Jornal Público, Bem-vindos à NevesNeveslândia, Crítica.
https://www.publico.pt/2018/03/17/culturaipsilon/critica/bemvindos-a-nevesneveslandia-1807026
2018 | Banda Sonora, de Ricardo Neves-Neves - In Ípsilon, Teatro: o melhor do ano, Balanço de 2018, escolhas de Augusto M. Seabra, Gonçalo Frota e Inês Nadais.
https://www.publico.pt/2018/12/21/culturaipsilon/noticia/melhores-2018-teatro-1855040
2019 | Banda Sonora, de Ricardo Neves-Neves - Nomeações ASEFA (Prémios Teatro 2019, relativos ao ano 2018), foi nomeada a peça Banda Sonora, encenação de Ricardo Neves-Neves nas categorias de Melhor espectáculo, Melhor encenador, Melhor elenco, Melhor Luz, Figurinos, Direcção musical, Melhor produção. Vencendo na categoria Melhor Cenografia, cenógrafo Henrique Ralheta.
2019 | Banda Sonora, de Ricardo Neves-Neves - Prémios Guia dos Teatros 2019 (Prémios Teatro 2019, relativos ao ano 2018),  foi nomeada a peça Banda Sonora, encenação de Ricardo Neves-Neves, venceu nas seguintes categorias, Melhor Texto Original Português (Ricardo Neves-Neves), Melhor Musical, Melhor Musica Original (Filipe Raposo) e Melhor Direcção Musical (Cesário Costa).
2021 | A Reconquista de Olivenza, de Ricardo Neves-Neves, Sociedade Portuguesa de Autores, PRÉMIO AUTORES 2021, nomeação para Melhor Trabalho Cenográfico, cenógrafa Catarina Barros.
2021 | A Reconquista de Olivenza, de Ricardo Neves-Neves, Sociedade Portuguesa de Autores, PRÉMIO AUTORES 2021, vencedor do Melhor Texto Português Representado, Ricardo Neves-Neves.